>

Alguns olhares sobre o Rio de Janeiro, seus costumes, seus becos, suas praias, suas gírias, seus botecos, sua gente, sua graça, e também para os seus desacertos e desgraças (por que não, não é?)... Faça o seu pedido e sente-se a mesa com a gente!







IMAGENS DO RIO


www.flickr.com
This is a Flickr badge showing public photos from listoducto. Make your own badge here.








Tempo Rio de Janeiro:

Click for Rio de Janeiro, Brazil Forecast

 


ښLTIMOS POSTS

O Rio hoje está doendo... (e eu também)
TIJUCA EM CRÔNICA - O FICINA DE CONTOS E CRÔNICAS ...
Copacabana, Copacabana...
Rio de Janeiro, gosto de você
Efeito colateral
Tem saída?
Não somos avestruzes...
Cenas Urbanas
Conversa de Botequim
Chico City - Um Rio tão longe, tão perto de ser fe...











PARTICIPANTES

Adai­lton Persegonha
Adelaide Amorim
Carla Cintia Conteiro
Carol Rodrigues
Eliane Stoducto
Fabio Sampaio
Ivy Wyler
Manoel Carlos Pinheiro
Marcia Cardoso
Silvia Chueire




 

100% CARIOCAS

Esse Mar é Meu
Parque do Flamengo
Levanta, Rio!
Baixo Santa
Bandeira 1
caRIOcas.net
Clube do Tom
copacabana.com
Cora Rónai
Linha & Cor
Literatura & Rio
Olhares do morro
Rio Total
Riotur
RJ Sinfonia
Samba & Choro
Vinicius de Moraes






NA MESA DO BAR

Afrodite
blog0news
Collectanea
Desassistidas
Drops da Fal
Elefante no infinito voa
Gravatá
Mais bonita
Mundo Delirante
Paliavana4
Pequeno Milagre
Periplus
Vidas marcadas
Vito Cesar




QUER DIVULGAR O BLOG?? :)))

 nosso selo



nosso botão





QUEM NOS LINKA


















 




Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.



 



domingo, abril 08, 2007

Falta alguém no Rio




É domingo de Páscoa e chove agora à noite. Rua deserta, casa deserta, coração vazio.
O outono que começava até parecendo ainda verão agora é uma ausência sem jeito.
É domingo de Páscoa e falta alguém no Rio.


dito por dade amorim




9 Comments:




Blogger Mel said...

Quando falta alguém ao nosso lado em dias comuns já é difícil, em datas especiais então, nem se fala... Mas que o dia tenha sido de paz.
Um beijo e boa páscoa para todos do Papo de Botequim!

08 abril, 2007 21:06  



Blogger Darlan said...

ENTRE VERDES E OUTROS TONS E TONALIDADES TU NOS ACOSRUMASTE, ELIANE STODUCTO

Entre verdes e azuis, também amarelos e vermelhos, tu estás sempre recolhendo para nós alguma coisa nova, sem rumo preconcebido, não, nada de trevos de quatro ou de cinco folhas, de pavios longos ou de metragens mínimas impedindo a fala aos que não têm pés para subir nas rampas, nem mãos com as quais atar a língua profana do desassossego profissional.

Somos em ti a paciência encontrada e / ou reencontrada, somos a sanha de um novo alento entre as esquinas e as colinas, prados, jardins, cinzas, trapézios, fotos e poemas, sim, seremos ainda o caldo mais apurado com que cobrir, contigo e para ti, os mais suculentos pratos e travessas, as mais límpidas águas de riso e os mais delicados ventos.
(DMC)
*******
Texto acerca do falecimento (07-04-2007) de pessoa muito querida: Eliane Stoducto.
*****
Está no PALIAVANA4

09 abril, 2007 05:38  



Blogger Lord Broken Pottery said...

Adelaide,
Passei por aqui. Ainda não entendi direito. Percebo que a dor é forte, de separação, de ausência. Fico solidário.
Beijo

23 abril, 2007 08:28  



Blogger Sizenando said...

obrigado por passar pelo blog, adelaide. a casa é sua.
obrigado pela foto do redentor, saudade do rio de janeiro.
quando lembro do rio, falta um pedacinho meu. a falta que sinto, o alguem que sumiu, também dói aqui em sao paulo. não sei se a dor é igual mas, dor não se compara, né?
saudade do rio, do jb, de santa tereza, do bondinho. brigado pela foto.

16 maio, 2007 00:26  



Anonymous cora www.cora.festim.net said...

Demorei pra ter coragem devir aqui. Mas neste fim de ano, mais do que nunca ou sempre bate-me uma saudade da Li indescritível.
Choro feito criança, ainda, pela perda de uma amiga tão chegada, que encontrei uma única vez, mas que abracei mais forte que qualquer outra. Essa foto é mesmo o retrato do Rio sem ela... Nublado, suspenso... à sua espera... :(

12 dezembro, 2007 13:01  



Anonymous Anônimo said...

NA ENTRADA DA ÁREA
-NINO BELLIENY-
VOCÊ FAZ MAIS FALTA DO QUE UM ZAGUEIRO DE TIME PEQUENO

15 fevereiro, 2008 17:59  



Blogger Beatriz Galvão said...

É, Adelaide, nem sempre é fácil dizer exatamente o que queremos... Mas, quando conseguimos, nascem poemas como este seu: belíssimo.
E triste...
Um beijo, e que a Páscoa lhe ajude a curar feridas, e a renascer a cada perda.
B.

09 abril, 2009 22:45  



Anonymous Anônimo said...

A grandeza do sentimento está aqui, nessas palavras.
Beijos, Deda
AnaG

03 novembro, 2009 22:56  



Anonymous Anônimo said...

Quase três anos, Adelaide, e ainda essa sensação de vazio que angustia e cria um irreparável.
Eliane foi muito querida de tanta gente, não é mesmo?
Triste,
Manuel

15 fevereiro, 2010 22:14  



Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link








 


home